quironn

fada da criatividade

Archive for the ‘Devaneios de Quironn’ Category

Insatisfação

Posted by quironn em 30 Agosto 2007

Há pessoas que vivem descontentes, em perpétua insatisfação. Parece que nunca estão bem onde estão nem ao lado de seja quem for. Nunca se satisfazem com nada e depois exigem dos outros aquilo que não conseguem sentir.

Acontece que gerem à sua volta como uma onda negativa que submerge, muitas vezes, quem gravita à sua volta: familiares, amigos e conhecidos. Às vezes, algumas dessas pessoas esforçam-se imenso para estarem à altura desses padrões elevados e nunca conseguem alcançar aprovação sequer. Sentem-se depois infelizes porque nunca conseguem agradar nem receber alguma retribuição de tanta energia dispensada, uma energia que esgota quem a dá…

Mudar os insatisfeitos é uma tarefa quase impossível e muito ingrata. Fazer compreender aos que tentam agradar-lhes (que devem soltar-se e não empenharem-se tanto já) é mais fácil. Deixo-lhes esta letra do António Variações para conseguirem por-se na pele dos insatisfeitos e se libertarem do sentimento de culpa e de fracasso.

Um abraço da Quironn

(30.08.2007)

Não encontrei a versão original do António Variações, mas esta está muito agradável 🙂

Nao consigo dominar
Este estado de ansiedade
A pressa de chegar
P’ra nao chegar tardeNao sei de que é que eu fujo
Sera desta solidao
Mas porque é que eu recuso
Quem quer dar-me a maoVou continuar a procurar
A quem eu me quero dar
Porque até aqui eu só:
Quero quem quem eu nunca vi
Porque eu só quero quem
Quem nao conheci
Porque eu só quero quem
Quem eu nunca vi
Porque eu só quero quem
Quem nao conheci
Porque eu só quero quem
Quem eu nunca vi

Esta insatisfacao
Nao consigo compreender
Sempre esta sensacao
Que estou a perder

Tenho pressa de sair
Quero sentir ao chegar
Vontade de partir
P’ra outro lugar

Vou continuar a procurar
A minha forma
O meu lugar
Porque até aqui eu só:
Estou bem aonde eu nao estou
Porque eu só quero ir
Aonde eu nao vou
Porque eu só estou bem
Aonde eu nao estou
Porque eu só quero ir
Aonde eu nao vou
Porque eu só estou bem
Aonde nao estou
Estou bem aonde eu nao estou
Porque eu só quero ir
Aonde eu nao vou
Porque eu só estou bem
Aonde eu nao estou
Porque eu só quero ir
Aonde eu nao vou
Porque eu só estou bem
Aonde eu nao estou
Porque eu só quero ir
Aonde eu nao vou
Porque eu só estou bem
Aonde nao estou
Porque eu só quero ir
Aonde eu nao vou
Porque eu só estou bem
Aonde nao estou

Estou Além, António Variações

Posted in Devaneios de Quironn | 13 Comments »

Café

Posted by quironn em 4 Julho 2007

Ele bebia café sozinho. Era um daqueles pequenos prazeres muito íntimo que não prescindia. Todos os dias, vestia-se, saía à rua e dirigia-se até ao pequeno botequim que lhe servia aquela bebida insubstituível. Sentado, primeiro aspirava o aroma. O barulho de fundo esfumava-se. O fumo baralhava-se. As entradas saíam-lhe da mente e as saídas nem reparava nelas. Era ele e aquele líquido castanho, o seu néctar dos deuses. Saboreava o seu café devagar como quem fuma um cigarro depois de uma queca bem/mal dada. Sentia a quentura da cafeína a correr-lhe pelas veias como um raio de sol preguiçoso em camada de gelo. Ele era café solitário…

Ela bebia chá acompanhada ou sozinha, à noitinha. Era como ter um jardim perfumado cultivado dentro do seu pequeno apartamento. Era ficar por momentos num Éden imaginado, só dela: um lugar de paz onde as borboletas eram serenidade e as flores sorrisos abertos da infância. Sentia-se tranquila à hora do chá, um pouco como um poeta que acabou de escolher as palavras exactas para um lirismo muito íntimo. Beber aquele líquido aromático era como estar numa nuvem de bem-estar a sobrevoar outras nuvens de tempestade envoltas em relâmpagos e trovões. Ela era a amenidade do chá, sempre à noitinha.

Quironn (04.07.2007)

Para o Paulo e a Diva…

Posted in Devaneios de Quironn | 6 Comments »

Leather

Posted by quironn em 28 Junho 2007

Era conhecida na night como Leather. Vestia um fato em couro vermelho que lhe moldava o corpo na perfeição. Ficava extremamente sensual nele, sem estrias nem celulite visíveis a olho nu. Fazia parte dum grupo de BDSM e obviamente era dominadora. Muitos queriam ser seus submissos pois ela subjugava como ninguém. Tanto os dominava no clube como fora dele. Eles adoravam receber ordens dela e faziam-lhe todas as vontades sem protestar. Tanto rastejavam como lhe lavavam os pés. Tanto ficavam imóveis como faziam as mais variadas tarefas: cozinhar os seus pratos favoritos, comprar-lhe roupas que desejava ou até materiais que ela indicasse. Ela tinha um olhar metálico e inexpressivo. Tratava-os como coisas e fazia-os sentir completamente invisíveis que era o que eles mais queriam. Nunca se comovia com os seus lamentos e dava ordens com uma voz ríspida, apesar do seu ar jovem. Era conhecida como Leather, a mais dominadora e fria: a melhor de todas.

De dia, era apenas uma jovem desempregada, tímida e orgulhosa. Era incapaz de viver do rendimento mínimo, de esmolinhas do Estado. Encontrara na noite uma forma de sobreviver sem ferir o seu orgulho: ela, a melhor aluna de todas as suas turmas, que não tinha querido subir à custa de manipulações e influências, mas apenas pelo seu valor…

Quironn (28.06.2007)

Posted in Devaneios de Quironn | 7 Comments »

Sorri, pá!

Posted by quironn em 18 Junho 2007

Sorri, pá! Sim, tu, que foste o gajo que mais idolatrei à face da Terra e arredores. Sabes o quanto te adoro e como me fizeste sofrer quando tudo acabou? Foi pior que ser uma peúga fedorenta abandonada no cesto da roupa suja, sempre estava em tua casa e eu não!

 Sorri, pá! Sim, tu, que foste o gajo que me deixava a pingar depois de te montar como se fosse o garanhão mais selvagem das planícies americanas. Sabes o quanto os meus dedos desejaram ser o teu sexo duro dentro de mim? Foi pior que ser a tua boneca insuflável perdida debaixo da cama, sempre estava por baixo e eu não!

Sorri, pá! Quando uns gajos te encherem de porrada e eu estiver por perto para te consolar… Quando uns gajos destruirem as tuas coisas dentro da tua casa e eu te acolher em minha casa… Quando uns gajos mandarem pelo correio a tua boneca ao teu patrão com fotos comprometedoras e eu estiver disponível para te ouvir e aconselhar…

Sorri, pá! Porque se tu sorris, serei eu a rir no fim. Nunca saberás que fui eu que os mandei ter contigo. Nunca compreenderás porque me julgavas de volta e eu estava apenas longe. Nunca saberás de como foste substituído pelo D! Desampara a loja! Agora só quero o D, quente e vibrante, que me satisfaz a toda a hora e quando me apetece. Sim, o D! Ai o D! O meu D. de Dildo…

Quironn (18.06.2007)

Rêverie inspirada no videoclip Smile, de Lily Allen

Posted in Devaneios de Quironn | 19 Comments »

Fantasia…

Posted by quironn em 13 Junho 2007

Andas a seguir-me há dias. Sinto a tua presença por todo o lado. Nunca consegui ver-te o rosto. De dia, sinto o teu olhar preso ao meu corpo quando ando na rua, mas não te consigo ver. À noite, sim, o teu vulto recorta-se em contra-luz. No início, assustavas-me. Pensei que podias ser algum tarado, um violador que me vigiava, que estudava os meus hábitos para me encurralar mais tarde. Hoje, sei que não é assim. Se me quisesses fazer mal, serias uma sombra invisível para me poder surpreender melhor. Tu queres que eu saiba que existes. És como um admirador que, passo a passo, quer conquistar a minha confiança e o meu desejo.

Encontro todos os dias, à minha porta, uma rosa vermelha embrulhada em papel de seda, sem cartão. Na caixa do correio, papelinhos rabiscados com palavras insinuantes. Sei que deveria ter cuidado mas não consigo parar de pensar em ti. Levanto-me com outro ânimo, todas as manhãs. Sinto a essência da rosa à minha porta.

À noite, deito-me na cama a desejar que os teus dedos batam na porta. Espreguiço-me, nua, nos lençóis e quase sinto as tuas mãos a acariciarem-me a pele. Fecho os olhos. Vejo o teu vulto a aproximar-se. Sinto o teu fôlego quente no meu pescoço. A ideia de ti arrepia-me. As tuas mãos nos meus seios. O ar que expiras sobre o meu ventre. Ouço os nossos gemidos, diluídos nas gotas de suor dos nossos corpos entrelaçados. Excita-me o teu cheiro intenso de homem. Os teus lábios beijam a orquídea palpitante do meu sexo. És o fósforo que me incendeia. Acordas a lava adormecida no meu vulcão. Não sentes como o meu desejo por ti se tornou obsessivo? Porque demoras tanto a possuir-me? Uma vaga de prazer submerge-me…

Acordei de novo na minha cama vazia, ainda quente dos meus devaneios de ti. À porta, uma rosa. Será esta noite, finalmente?

Quironn (13.06.2007)

Rêverie inspirada no videoclip Self Control, da Laura Branigan

Posted in Devaneios de Quironn | 6 Comments »

Salvação

Posted by quironn em 11 Junho 2007

Só tu me podes salvar. Sim, tu! Como? se não és nenhum herói de banda desenhada nem sequer fada madrinha de um conto de fadas? Pois, mas é isso, mesmo, só tu me podes salvar. Como? Eis a receita para me salvares da cinzentice dos dias, válida também para qualquer ser humano…

  • Dá-me um abraço, quando estiver a gelar
  • Acolhe as minhas lágrimas nas tuas mãos.
  • Olha-me nos olhos quando falar contigo.
  • Ouve-me com atenção quando desviar o olhar.
  • Ri-te das minhas piadas parvas.
  • Sorri-me quando estiver perdida.
  • Fala-me de luz na escuridão quando perder a esperança.
  • Abre a porta do meu coração, quando estiver a sangrar.
  • Deixa o silêncio envolver-me em dias de gritaria.
  • Faz-me respirar fundo em dias de amargura.
  • Prende o meu medo na tua mão fechada.
  • Abre-me os olhos quando tiver cegado para o amor.
  • Acaricia a culpa que me rói a alma.
  • Devolve-me a inocência perdida no cinismo de outrém.
  • Faz-me acreditar de novo nos afectos graças a ti e à tua amizade carinhosa…

Podes então salvar-me? Porque prometo salvar-te de volta todos os dias da minha vida.

Quironn (11.06.2007)

Rêverie inspirada neste videoclip dos The Fray – How to save a life

Posted in Devaneios de Quironn | 7 Comments »

Terrear

Posted by quironn em 4 Junho 2007

fairy13.jpg

Ela nascera da fusão de uma asa de falcão com o sonho de um jovem. Fora feita para devanear entre matéria e espírito, entre imagens mentais e Ar. Ele nascera da fusão entre meteorito perdido com devaneios de uma jovem. Fora feito para entressonhar entre corpo e alma, entre desejos virtuais e Terra.

Encontro de Ar e Terra: comunhão perfeita…

Quironn (04.06.2007)

Posted in Devaneios de Quironn | 4 Comments »